Lídice Vita e Cintra
Rio de Janeiro, RJ


Parto Normal Hospitalar

 

Gostaria de compartilhar e deixar registrada a minha experiência desde a confirmação de minha gravidez até o parto. Primeiramente, foi fundamental em minha vida o estímulo que meu marido sempre me deu para fazer exercícios físicos, pois nunca fui ligada a isso e desde 1995, quando me casei, comecei a fazer caminhadas e hidroginástica, depois ele me convenceu a fazer algo que me enrigesse mais e fui fazer um pouco de musculação, só que acabei me identificando com a ginástica.

Nos últimos tempos (antes de saber da gravidez) acordava às 5:10h e das 5:30 h corria até 6:00 h, neste horário entrava na academia e fazia uma hora de ginástica. Com a confirmação da gravidez, novamente meu marido me incentivou a fazer hidroginástica, já que como não tinha uma ginástica voltada para gestante ficava temerosa de fazer determinados movimentos. Então, comecei a fazer hidro, que posso dizer foi uma das coisas mais importantes e felizes que pude fazer, pois simplesmente a professora era maravilhosa e o ambiente vivido era de um astral maravilhoso também.

Parecia mágico, pois as pessoas me passavam tanto carinho e de certa forma me acompanharam desde que eu me encontrava no 4º mês de gestação. A cada final de aula, a professora fazia uma espécie de prece, fazendo uma roda, fazíamos um rah! empurrando a água com os braços e mandávamos todos os aborrecimentos para ralo e a Professora dizia sempre palavras de muito otimismo e de várias mensagens de alegria e sempre com música ao fundo.


Também quando soube que estava grávida comecei a pesquisar vários sites a respeito do assunto e até que descobri vocês (que foi ótimo!), inclusive cheguei a recomendar para algumas grávidas temerosas com o parto normal.Cheguei a solicitar médicos humanizados aqui no Rio. Mas acabei ficando mesmo com a médica que iniciou o meu pré-natal.

Desejava muito ter um parto normal, mas ficava triste quando via pessoas com este desejo e acabando na hora partindo para cesárea, inclusive minhas duas irmãs, apesar que em situação bem diferente da minha, já que não faziam nenhuma atividade física e também levaram um choque muito forte, pois meu pai faleceu quando uma delas estava no 7º mês de gestação e a outra no 4º, sendo que esta última ainda levou um choque maior, pois um dos exames que fez acusou um problema no cromossomo, o que a levou a uma profunda angústia até a confirmação do exame que seu bebê era normal.

Mas, independente disso, sempre conversava com mulheres tiveram recentemente e chegava a conclusão que a cesárea era o normal e que o parto normal era exceção. Até hoje não consigo entender porque isto ocorre. Por que hoje em dia é tão difícil uma mulher ter um parto normal? Por que não apresenta dilatação?

Por tudo isso, resolvi fazer o máximo de movimento, inclusive antes das aulas de hidro ainda fazia caminhada de 2ª a 6ª , de mais ou menos 30 minutos por dia, procurei também fazer uma alimentação balanceada, quase não comia doces, comidas gordurosas e sempre comia nos horários certos. A médica receitou para mim, vitamina (Vitergan Pré-natal), apesar de ficar com mais prisão de ventre por causa do ferro. Enfim, tive uma gestação tranqüila, e até o meu trabalho favoreceu, já que não exigiu de mim muito esforço, tirei férias no 8° mês de gestação.

No dia 07-06-02 já acordei com cólica, sendo que no dia 05-06, já estava sentindo estas mesmas cólicas só que mais brandas, tendo a Médica me receitado Buscopan (já que ela havia feito o toque, e o colo ainda estava longo) que ainda não estava na hora de nascer. Só que no dia 07 o Buscopan (supositórios) não funcionou e no final da tarde quando a Médica já havia saído do consultório a informei que as cólicas estavam cada vez maiores e o supositório havia caído devido ao fato de eu ficar com vontade de defecar, então ela me aconselhou a tomar a mesma medicação, só que em comprimidos, não resolveu.

Voltei a fazer contato com a mesma, e ela me disse para observar se estas dores vinham três vezes durante 10 minutos e eu a informei que sim. Então ela pediu que eu a encontrasse numa clínica mais próxima a sua residência para que ela pudesse me examinar, já que saíra do consultório e estava a caminho de casa. Então, eu e meu marido nos arrumamos, inclusive com a mala, e fomos até a maternidade indicada por ela.

Na realidade, planejamos ter nossa filha na Maternidade da Clínica São José, que fica em Humaitá, desde a primeira vez que informei a Médica sobre esta escolha, senti nela uma certa insatisfação devido a distância, já que a mesma reside em Grajaú e eu moro no Engenho de Dentro, bairros da Zona Norte aqui do Rio de Janeiro, mas insisti neste meu propósito, já que esta clínica se não é a melhor e uma das melhores do Rio, e já que pagamos um plano de saúde caro, nada mais justo que possamos escolher a melhor.

Porém, como estava relatando acima, quando cheguei a clínica (Maternidade da Casa de Saúde Santa Terezinha) eu já me encontrava com 4 de dilatação e ela disse que já estava prestes para ter minha filha, então meu marido sugeriu que fôssemos para a Clínica que desejávamos, foi quando ela ficou perplexa e disse que não seria conveniente sairmos dali, já que estava tudo no esquema, inclusive ela já estava contactando com alguns médicos de sua equipe.

Diante da reação de meu marido, ela virou-se para mim e indagou se eu não iria dizer nada sobre isso. Eu, nesta altura, não tinha condições de esboçar nada, pois a dor apesar de durar poucos segundos era bastante forte e tudo o que eu desejava naquele momento era me livrar dela, então disse que tudo bem, que não me importaria de ter meu bebê ali mesmo, foi então que meu marido cedeu e aceitou que ficássemos ali mesmo.

Aos poucos todos foram chegando e fui encaminhada para sala de pré-parto, e com pensamento muito forte e determinada fiz um máximo de força que pude e minha filha GABRIELA nasceu precisamente às 23 h 01 min do dia 07 de junho de 2002 fiquei simplesmente em estado de êxtase durante uma semana e não consegui dormir de tanta alegria de ter dado tudo certo conforme eu havia planejado, minha filha nasceu bem, com 3.590 kg e medindo 49,5 cm. Uma semana depois, estive no consultório da Médica e ela me informou que devido eu apresentar muitas varizes o meu parto foi feio por ter sido sangrento demais, mas para mim foi maravilhoso porque pude conversar com as pessoas logo após o parto, me senti muito bem e hoje já estou com 10 kg a menos, consegui rapidamente voltar ao meu peso com menos de um mês. Enfim, tive uma boa experiência.

Agradeço principalmente a Deus, que me deu a força que eu precisava naqueles momentos, pois fiquei muito tranqüila durante o parto. Espero passar com esta experiência relatada algo de positivo para as pessoas que são gestantes, confie no seu corpo ou então o exercite, facilitando assim o seu parto, para que ele seja o mais natural possível.

Obrigada pela oportunidade,

Lídice Vita e Cintra
E-mail: paulojds@iis.com.br
Rio de Janeiro, RJ

página principal          menu de depoimentos


Direitos Autorais