Rosimeire Dersoir
Parto Normal na França

 

Desde o começo de minha gravidez fiquei imaginando as dificuldades que eu poderia ter ainda mais morando em um pais completamente diferente do meu onde a cultura se passa de uma outra maneira, os costumes, a língua... Mesmo dominando o idioma eu teria que descobrir esse mundo sozinha. Foi aí que comecei a buscar por meio de livros, como sendo primeiro filho, desde meu primeiro exame com o médico e as ecografias nunca me falaram nada a respeito do parto, porque aqui as mulheres já sabem que será parto normal.

A cesariana o médico nem fala no assunto, espera até o ultimo momento, vendo que o bebê está na posição de nascer, tudo indica que será parto normal. As chamadas "parteiras", mulheres formadas pra fazer o parto, nos dão curso de preparação pro parto, aqui o chamado "preparation pour l'acouchement".

Foi aí que eu comecei a escutar o depoimento de outras mulheres que já tinham tido filhos, ou outras que estavam na mesma situação que a minha, inseguras e ansiosas com o parto normal, sem saber como agir na hora que as contrações chegassem, percebi que eu não era a única. Então comecei a me sentir melhor e mais segura, meu marido participou comigo, e isso nos ajudou a superar todas nossas dúvidas e ansiedades.

Um mês antes tive uma cólica de rins muito feia que me levou ao hospital e passei três dias em observação porque senão corria o risco do meu bebê nascer antes, o médico me deu alta, mas nas condições de repouso absoluto. Então tinha uma parteira que vinha em casa todos os dias recomendada por ele pra medir minha pressão e escutar os batimentos do coração do bebe com monitoring, o qual podia observar minhas contrações também.

Completei as semanas necessárias e a hora do parto chegou com contrações que vinham pelas costas, foram duas horas e meia até a peridural, tudo ocorreu bem, me aliviou muito. Minhas contrações seguiram até a hora da chegada do bebê, uma parteira quem estava comigo e meu marido, mas como o bebe não estava com a cabeça em uma boa posição de sair o médico que continuou.

Tive a episiotomia, e uma filha linda, com saúde e com as graças de Deus, ela tinha dois nós no cordao, um em cima do outro, como disse o médico só a natureza que explica isso. Quando eu vi o cordão umbilical, pude entender o que ele dizia, pude abraçá-la contra meu corpo e ela sentiu o meu cheiro. Foi mágico, ela é linda, tive o prazer de poder amamentá-la desde os primeiros momentos de vida até hoje, o pai quem deu primeiro banho e isso foi um momento muito importante pra ele.

Aqui se fica na maternidade até seis dias, depende de cada mulher, esse foi meu caso. Bom, a única coisa que posso dizer a todas as mulheres gravidas hoje é que não mudem a natureza, esse dom que noa foi dado de parir, é maravilhoso, cada momento é especial, e as dores restam como lembranças boas quando vemos nosso bebê nos braços.

Grande abraço a todas as leitoras de "amigas do parto".

Rosimeire Dersoir
email: guillaume.dersoir@wanadoo.fr
Cidade: Nantes-Franša

 


página principal          menu de depoimentos


Direitos Autorais