Paula Mishima

"Uma cesárea no Japão"


 

Meu nome é Paula e tenho 21 anos e moro no Japão. A minha gravidez foi muito
tranquila, no começo não senti nenhum enjôo. Como moro no Japão e aqui raramente se faz uma cesárea só pensava em parto normal, ficava lendo várias revistas, conversava com as mulheres que já tinham tido filhos aqui, e fazia pesquisas na internet sobre parto normal.
Estava me preparando muito para isso.

Assim que descobri que estava grávida já tinha escolhido onde ia ter meu bebê.
Que era a clínica onde estava fazendo consultas, o único inconveniente
é que lá havia dois médicos, estava me consultando com um (o outro eu não
gostava era muito estupido e muita gente reclamava dele), mas na hora do
parto não poderia escolher porque eles se revezavam...

Eu ficava super ansiosa toda vez que tinha que me consultar para ver minha
filhinha aqui é diferente do Brasil, se faz ultra-som em todas as consultas,
era uma emoção poder ver ela!!!! Mesmo que fosse através do ultra...e o
médico era um amor de pessoa, muito bonzinho.

Quando estava na 36 semana de gestação ele me disse que meu líquido amniótico estava começando a secar...eu perguntei se era normal ou não e ele disse que não era muito bom, mas com o decorrer das semanas não diminuisse mais não tinha problemas, e que era para voltar semana que vem com meu marido junto pois ele fala japonês fluentemente e eu não, e eu fui para casa sem preocupações.

Voltamos na semana seguinte e quando o começou o ultra-som estava tudo
normal, exceto que o líquido tinha secado mais um pouco...depois ele foi
fazer o exame de toque, e ele viu que estava com dilatação zero.

Chamou meu marido e eu para conversar e disse que o bebê não ia nascer tão cedo,
mas como estava diminuindo a quantidade de líquido talvez teria que fazer uma
cesárea...quando ele disse isso fiquei apavorada, decepcionada, tinha me
preparado tanto para o parto normal era como jogar um balde de água fria!!!

Voltamos na semana seguinte e foi a mesma coisa, perguntou se já queria
marcar a cesárea que pelo jeito não ia melhorar. Perguntei para ele o que
ele achava melhor...então disse para fazer mais uma consulta na segunda dia
20 de maio e se não melhorasse a dilatação marcaria a cesárea.

Segunda voltamos para a clínica e foi de novo a mesma coisa dilatação zero e
líquido diminuindo, então marcou a cesárea para sexta dia 24 e ele mesmo que
faria.
E fez um batalhão de exames.

Na quinta-feira de noite nem consegui dormir de tanta ansiedade...na sexta
as 8 da manhã fui para a clínica com meu marido me sentindo uma inútil,
era muito esquisito ir para lá sabendo que ia nascer, tudo programadinho
parecendo um robô...chegando lá mais um monte de exames, tomei banho e
depois colocaram soro e sonda. Ás vinte para uma fui andando para sala de
parto, e quando achei tudo horrível!!!!!! Aplicaram a anestesia e meu
marido entrou e ficou do meu lado segurando minha mão e uma outra enfermeira
segurava a outra mão. Às 13:12 minha filhinha nasceu e logo em seguida
comecei a passar muito mal, pensei que fosse morrer, estava com muita
falta de ar, e minha pressão começou a cair, e me dava uma agonia muito grande,
foi quando colocaram remedio no soro e me deu ansia de vômito, mas não
saia nada (estava sem comer e sem beber fazia 16 horas por recomendação
médica), depois em seguida melhorei e minha boca estava muito seca, mas ainda não
podia beber nada.

Fui para o quarto e não podia ver a Larissa ainda estava na encubadora,
ficou lá 24 horas. O pós-parto foi horrível, sentia muita dor na barriga,
na primeira vez em que me levantei senti uma dor, mas uma dor nossa parecia
que minha barriga ia estourar!!!! Fiquei 3 dias tomando soro e fiquei super
inchada!!!!! Uma semana após o parto tiraram os pontos e tive alta (aqui
ficamos mais dias que no Brasil, pois eles dão assistência na hora de
amamentar, dar banho, enfim cuidados gerais com o bebê).

Comecei a amamentar só depois de 4 dias, e não estou com muito leite até
hoje. Agora passado 2 meses graças a Deus não sinto mais dores...as dores
demororaram um pouco mais de 20 dias para passar por inteira.
A Larissa está cada dia mais linda e cresceu muito!!!



Paula Mishima, Japão

página principal          menu de depoimentos


Direitos Autorais