Fil

Eu tinha 2 dias para fabricar uma cadeira para o segundo parto de minha esposa.


 

Eu sou um grande entusiasta do parto de cócoras e meus dois filhos nasceram por esse caminho. O mais velho nasceu na casa de saúde S. Jose em Duque de Caxias-RJ (era o único que fazia o parto de cócoras gratuitamente em 1987). O segundo nasceu em uma clínica homeopática em uma cadeira específica que eu mesmo fiz.

Lembrei-me da primeira cadeira para parto de cócoras que o Dr. Moyses Parcionik de Curitiba fez e como não tinha dinheiro para pagar um hospital especializado, acabei por eu mesmo fazer a cadeira.. Eu tratei com uma homeopata o parto e a acomodação na clínica, etc..etc..

Faltando dois dias para a data prevista a obstetra me explica como faria o parto: a obstetra usava uma daquelas escadinhas para a parturiente se segurar e agachar. Colocava o campo hospitalar no chão esterilizado (ou coisa parecida) e pronto!! Embora eu soubesse da boa ficha da obstetra fiquei revoltado e disse que meu filho não nasceria daquela forma. Saí da consulta e cheguei em casa p... da vida comigo mesmo por ter colocado minha mulher e filhos naquela situação.

Era tarde para mudar de médica e eu não tinha recurso algum (pra variar). Saí de casa para dar uma volta e vagueei pelas ruas. Cheguei defronte a uma espécie de serralheria ou depósito e comecei a conversar com um homem perguntei-lhe se ele tinha uma cadeira assim... assim... pois bem... aquele senhor não entendeu nada direito... ele estava um pouco alto, digamos. Ai ele disse ...

- Olha moço não entendi o que tem a ver uma cadeira com o parto do seu filho mas tudo bem, tô vendo que você é gente fina mesmo, então sobe no depósito e vê se encontra o que você quer.

Subi, remexi em um monte de ferro torcido e cadeiras. Era o depósito de cadeira de uma escola. Achei uma daquelas cadeiras conjugadas com a mesa e então a mostrei para o homem e pedi-lhe que me ajudasse a adaptá-la. Já estava escuro quando começamos o trabalho.

Torce daqui, mexe dali e depois de 3 horas fui pegar minha mulher para "testar" a cadeira. Eu a fiz subir e repassar todo o parto conforme havíamos feito 3 anos antes. Ela foi para casa e tanto eu quanto o homem ficamos dando "acertos" na cadeira. Como estava frio eu havia comprado uma pinguinha para aquecer e entusiasmar tanto o homem quanto a mim ehehehe

Levei a cadeira no braço para minha casa e fiquei pintando-a o resto da noite, deixando ventiladores ligados para secá-la. Logo a seguir levei a cadeira para a clínica. Minha esposa fazia habitualmente exercícios de agachamento (20/30 a cada hora) de modo que seu períneo estava em excelente estado. (Eu ligava o tempo todo mandando ela "pagar" 10)...

Minha esposa teve o bebê as 9:10 da manhã do dia seguinte, 4 horas depois estava em casa e já no dia seguinte andava normalmente. Graças aos exercícios intensos sua musculatura perineal estava perfeita e conseguimos uma excelente dilatação. O parto foi feito em meio ao silêncio e a penumbra de modo a não ferir os sentidos do bebê. Depois que a obstetra ajudou no parto, eu pude cortar o cordão umbilical (ainda hoje me recordo a sensação ai)

Sabe amigos, cócoras é a posição natural e fisiológica do ser humano. Não é a posição sentado ou deitado a natural para descanso ou expulsão de quaisquer tipos de coisas do organismo.

Vocês podem me corrigir se eu estiver falando besteira mas o parto chamado normal (deitado ou meio inclinado) surgiu ou ganhou força, há 300 anos quando as damas da corte tinham por parâmetro de beleza a gordura e era difícil para o médico da época ajudar no parto com alguém "meio obeso" e de cócoras. Foi um médico da corte de Luiz XV o idealizador disso, colocar a mulher deitada para facilitar o seu próprio trabalho, era moda na corte e passou a ser o parâmetro de todos os outros médicos.

Vejam o que ocorre no Brasil. Enquanto as "civilizadas" ficam passando mal, sem a dilatação necessária etc..etc... as nossas índias têm o filho e logo a seguir vão para o trabalho ...qual a diferença?? Elas fazem tudo agachadas, fortalecendo seu períneo. Foi isso que constatou o Dr. Moyses Parcionik de Curitiba. Como regalo aos amigos e futuros pais, indico o parto de cócoras (devidamente acompanhado de seu medico, é claro)...


L.C. Filardi

 

página principal          menu de depoimentos


Direitos Autorais