Mário e Socorro no carrossel
Socorro

Uma cesárea de urgência marcada com 24 horas de antecedência.


 
Tenho um filho lindo que já está com  18 meses , mas não foi dessa vez que me fiz mulher...

Já estava com 42 semanas e o obstetra resolveu marcar a cesariana porque ele não estava encaixado e eu não tinha entrado em trabalho de parto. Apesar da ultrassonografia tirada no dia anterior ter indicado boa quantidade de líquido, boa maturidade da placenta e que eu ainda poderia esperar algum tempo.

Fiquei atordoada, saímos de lá cogitanto ir a um hospital público já que lá só se faz cesárea quando a mãe está prestes a morrer... meu marido pediu para irmos para casa para que eu pudesse descansar.

Chorei das 17h do dia 25 até as 8h da manhã do dia 26. Ainda liguei para o médico pedindo adiamento. Queria entrar pelo  menos em trabalho de parto. Resposta: NÃO

Fui para o hospital calma como vaca para o abatedouro. Tudo correu bem. Vendo as fotos parece que estava feliz mas me sentia totalmente impotente...

A recuperação foi excelente. Fisicamente, eu digo. Não tenho cicatriz. Meu leite não desceu mas estava disposta a deixar meu filho morrer de fome se não tivesse leite. Se não tinha tido parto, não ia dar mamadeira para ele. Foi motivo de muita briga mas só assim consegui amamentar. Hoje acredito que era Depressão pós parto que me fez tão hostil.

Ainda amamento e tenho uma relação até boa com ele considerando o ressentimento que tenho com o médico, meu corpo, ele, minha mãe, meu marido, meu pai, eu mesma, Deus, tudo, todos... Me senti sem apoio para "faltar" a cirurgia marcada e hoje acho que era isso que faria. Só para bagunçar a agenda deles...

Repito. fisicamente foi tudo ótimo. Poucas dores, incômodos superáveis, uma cicatriz na forma de linha . Mas minha alma ainda chora. Dou graças a Deus ter um filho sadio mas sinto como se tivesse perdido o "dia do meu casamento" ou coisa parecida. A dor sempre foi para mim algo que faz parte da vida e acreditava que me faria mulher e mãe com o parto. Amo meu filho mas as vezes sinto como se ele não fosse meu, nessas horas parece que ele sente e pede para mamar resgatando o elo perdido naquela cirurgia.

Ningém que conheço aguenta mais esse assunto. Eu mesma fico cansada de falar mas preciso de espaço para isso.

Estou sem médico porque todos os que consultei (3 ao todo) dizem que foi melhor e que está tudo bem que isso é besteira, indicando que não terei apoio em uma nova gravidez para tentar um parto normal. Já conversei com meu marido para adotarmos nosso segundo filho em vez de eu ter que passar por aquilo de novo, mas ele muda de assunto. Na verdade não quer outro filho.
 
 


página principal          menu de depoimentos


Direitos Autorais