Bebê não nasce mamando
(mas aprende logo)
Dra. Stella Marina Ferreira

 

Todo recém-nascido leva um tempo pra pegar bacana mesmo o seio. Afinal, quando ele nasce não sabe mamar e a mãe não sabe amamentar: devem aprender juntos e mutuamente.
Eles nascem cansados e nós estamos cansadas e apreensivas.
Eles nascem sem fome e nós não temos leite em grande quantidade, só colostro que é rico, mas escasso.
Convenhamos, não é de se esperar que eles agarrem o seio loguinho e competentemente. Dá um tempo!

Quanto tempo?

Quem tiver oportunidade, observe um recém-nascido e sua mãe. Em geral, a partir do terceiro dia eles estão pegando e sugando, sim, mas por pouco tempo de cada vez. Isso dá à mãe e aos entornos a impressão de que o bebê come pouco. Complete-se o quadro com o choro do bebê, que é freqüente. Claro, oras! Ele estranha tudo e não sabe perguntar nada!
O pessoal faz pressão; a mãe se sente incompetente E rejeitada (pelo filho e pelos parentes!); o pediatra oferece o complemento. Dá-se a melodia...

Mas continuem observando. Observem especialmente as mães perseverantes e otimistas e seus bebês.
Vocês perceberão que o bebê sacou tudo, está realmente safo, competentíssimo nas mamadas aí pelos ... 20 dias de nascido. É isso aí, gente!, 3 semanas.
Uns bebês sacam tudo logo no 3º dia; outros no 8º; outros no 16º, sei lá. Mesmo o "precoce" só estará expert na terceira semana. Vão lá ver só!

Então, qualquer atestado de incompetência outorgado antes de 21 dias é impróprio.
E enquanto bebê e mamãe estão aprendendo juntos, pode ser que o bebê mame pouco tempo, mas mame bem. Afinal, o recém-nascido tem mais fome de afeto e de conhecimento do que de leite.

Ao levar o bebê ao seio, a mãe faz contacto olho-no-olho. Como isso é importante! E ela estimula a pele dele e o olfato dele, permitindo-lhe ir conhecendo o mundo a que chegou.
A mãe tem que ser apoiada, ajudada, estimulada e parabenizada: ela está fazendo um monte de coisas que promovem bem-estar a seu bebê.

A mãe tem que ser informada que não se nasce sabendo, que se aprende a cada dia, que relações fortes demoram a instalar-se (e nunca são deletadas).




Dra. Stella Marina Ferreira
Médica Ginecologista e Obstetra
Rio de Janeiro, RJ


página principal          menu de artigos

 


     

Direitos Autorais